Coleção IM - Família Imperial

Open original objeto digital

Área de identificação

Código de referência

BR RJMHN IM

Título

Família Imperial

Data(s)

  • 1816 - 1966 (Produção)

Nível de descrição

Coleção

Dimensão e suporte

Textual: metragem linear 0,06 (corresponde a 73 itens)
Iconografia: 590 fotografias, 44 gravuras, 04 desenhos, 05 diagramas (árvore genealógica), 01 cartão postal, 26 aquarelas.
05 Partitura
02 Recorte de Jornal

522 fotos do total relacionado acima, fazem parte dos 19 álbuns da coleção.

Zona do contexto

Nome do produtor

(1798-1834)

Biografia

Primeiro Imperador do Brasil. Chegou ao Brasil em 1808. Foi nomeado príncipe Regente, após a volta de seu pai D. João IV a Portugal (1821). A pressão portuguesa sobre o seu governo e as lutas internas dos brasileiros por sua emancipação levaram D. Pedro a declarar a independência do Brasil, às margens do Ipiranga, em 7 de setembro de 1822. Foi aclamado Imperador e defensor perpétuo do Brasil (12 de outubro de 1822). Em 1823, demitiu o Ministério Andrada e dissolveu a Assembléia Constituinte e deportou para a Europa 6 deputados, inclusive o próprio José Bonifácio de Andrada e Silva. Em 1824 outorgou uma constituição para o Brasil e, em 1826, outra a Portugal. No mesmo ano, abdicou da Coroa Portuguesa em favor de sua filha Maria da Glória. Em 1830 sofreu oposição liberal e reação popular, no Brasil, o que levou a abdicar em favor de seu filho D. Pedro II, em 7 de abril de 1831. Voltou a Portugal para restaurar os direitos da filha, usurpados por D. Miguel, seu irmão. Morreu pouco depois da Convenção de Évora Monte, que selara a vitória da causa liberal, de que se fizera paladino. Casou pela primeira vez em 13/05/1817 com Maria Leopoldina (1797-1826), Arquiduquesa d’Áustria, filha de Francisco I, com quem deve 7 filhos: D. Maria da Glória (1819-1853); D. Miguel (1820, falecendo logo); D. João Carlos (1821-1822); D. Januária (1822-1901); D. Paula (1823-1833); D. Francisca (1824-1898) e D. Pedro II (1825-1891). Seu segundo casamento ocorreu em 02/08/1829 com quem teve a sua oitava filha: D. Maria Amélia de Bragança e Leuchtenberg (1831-1853).

Nome do produtor

(1825-1891)

Biografia

Segundo Imperador do Brasil. Filho do Imperador D. Pedro I e da Imperatriz Leopoldina, subiu ao trono do Brasil com a abdicação de seu pai (7 de abril de 1831). José Bonifácio de Andrade Silva e o Marquês de Itanhaém foram seus Tutores. Após nove anos de conturbadas regências, em 1840, foi declarada sua maioridade. Seu governo caracterizou-se pela pacificação do país. De 1851 a 1852, sustentou a guerra contra Oribe e Rosas. Desenvolveu os meios de comunicação, a imigração estrangeira e a instrução pública. Foi árbitro em questões internacionais. De 1864 a 1870, enfrentou a Guerra contra o Paraguai. Em seu Reinado deu-se a progressiva Abolição da Escravatura com a Lei Eusébio de Queiros (1850), que aboliu o tráfico negreiro, a Lei do Ventre Livre (1871), a Lei saraiva-Gotegipe (1885), que declarava livres os escravos sexagenários, e por fim a Lei Áurea (1888) que aboliu a escravidão no Brasil. Com a proclamação da República, D. Pedro II embarcou para Portugal, e daí para a França, onde morreu. Em 1920, seus restos mortais foram transladados para o Brasil e sepultados na Catedral de Petrópolis. Casou-se, em Nápoles, 30/05/1843, com a princesa Teresa Cristina Maria de Bourbon, da região das Duas Sicílias, com quem teve quatro filhos: D. Pedro Afonso (1845-1847); D. Isabel (1846-1921); D. Leopoldina (1847-1871) e D. Pedro Afonso (1848-1850).

Nome do produtor

(1846-1921)

Biografia

Princesa Imperial do Regente, a “Redentora” (Rio de Janeiro, 1846-França, 1921) filha do Imperador D. Pedro II e D. Teresa Cristina Maria de Bourbon. Regente de 1871 a 1872, de 1876 a 1877, de 1877 a 1888. Em 13 de maio de 1888, assinou a Lei Áurea que aboliu a escravidão negra no Brasil. Casou-se no Rio de janeiro, em 15/10/1864, com o príncipe Luís Gastão de Orléans, Conde D’Eu, Marechal do Exército, Grã cruz de todas as Ordens Brasileiras, (nasceu em Neuillysur-Seine, 1842- bordo do “Massilia” em 1922). Tiveram três filhos: Pedro Alcântara, Alteza Imperial e príncipe do Grão-Pará, até 30/10/1908, ano que renunciou por si e por todos e cada um de seus descendentes, a todo e qualquer direito à Coroa e Trono do Brasil e, conseqüentemente, à chefia da Casa Imperial. Casado com Maria Elizabeth, Condessa de Dobrzensky de Dobrzenicz (1875-1951), pais de Isabel, Pedro Gastão e Maria Francisca; D. Luís, Príncipe Imperial do Brasil, em virtude da renúncia, em 30/10/1908, de seu irmão primogênito. Casado com Maria Pia de Bourbon, Princesa das Duas Sicílias (nascida em Cannes em 1878), pais de D. Pedro Henrique, D. Luís Gastão e Pia Maria, D. Antônio (Paris,1881-Londres,1918).

Nome do produtor

(1847-1871)

Biografia

Casou-se no Rio de Janeiro em 15/12/1864 com o príncipe Luís augusto de Saxe-Coburgo e Gotha, Duque de Saxe, Almirante Efetivo da Imperial Armada do Brasil, Presidente do Conselho Naval, Grã-Cruz de todas as Ordens Brasileiras (Eu, 1845-Carlsbad, 1907), com quem teve quatro filhos: D. Pedro Augusto Saxe-Coburgo e Bragança, eventual sucessor da Coroa, segundo a Constituição do Império, qualidade que chegou a alcançar e conservou durante nove anos, até o nascimento de seu primo D. Pedro de Alcântara. Bacharelado em Letras pelo primeiro colégio Pedro II e Engenheiro pela Escola Politécnica do Rio de Janeiro (Rio de Janeiro, 1866- Tulln (Áustria), 1934), sem sucessão; D. Augusto Leopoldo, segundo Tenente da Imperial Armada Brasileira (Petrópolis, 1867- Castelo de Schladming, 1922). Casou-se em 1894 com S.A.I e R. Caroline, Arquiduquesa da Áustria-Toscana (Áustria, 1869-Budapeste, 1945) co9m quem teve a filha D. Teresa Cristina Maria Saxe-Coburgo e Bragança de Habsburgo; D. José de Saxe-Coburgo e Bragança (Rio de Janeiro, 1869- Áustria, 1888); D. Luís (Castelo de Ebenthal, Áustria 1870 – Innsoruck, 1942), casou-se pela primeira vez em Munique, 1900, com S.A.R Matilde Maria, Princesa da Baviera e, pela segunda vez em Bischofsteinitz, 1907, com a Condessa Maria Ana, de Trauttmansdorff-Weinsberg (1873-1948).

Nome do produtor

(1822-1889)

Biografia

Apelidada de "Mãe dos Brasileiros", foi a esposa do imperador D. Pedro II e imperatriz consorte do Império do Brasil de 1843 até a abolição da monarquia em 1889. Nascida como uma princesa do Reino das Duas Sicílias, era filha do rei Francisco I, pertencente ao ramo italiano da Casa de Bourbon, e sua esposa a infanta Maria Isabel da Espanha. Ela se casou por procuração com Pedro II em 1843. As expectativas de seu marido eram altas devido a um retrato que lhe havia sido presenteado em que Teresa Cristina era mostrada como uma beleza idealizada, porém ele ficou insatisfeito com aparência simples da noiva ao encontrá-la pela primeira vez. A relação do casal melhorou com os anos apesar do começo frio, principalmente por causa da paciência, bondade, generosidade e simplicidade de Teresa Cristina. Essas características também lhe ajudaram a ganhar os corações dos brasileiros, com sua distância de controvérsias políticas lhe protegendo de críticas. Ela também patrocinou estudos arqueológicos na Itália e ajudou na imigração italiana para o Brasil.

Nome do produtor

(1797-1826)

Biografia

Foi a primeira esposa do imperador D. Pedro I e Imperatriz Consorte do Império do Brasil de 1822 até sua morte, também brevemente sendo Rainha Consorte do Reino de Portugal e Algarves entre março e maio de 1826. Era filha do imperador Francisco I da Áustria e sua segunda esposa Maria Teresa da Sicília.

Entidade custodiadora

História do arquivo

No inventário desta coleção consta que ela foi organizada entre 1984 e 1985 e "(...) reúne documentos de diversas procedências [ ver campo 2.3.2] agrupados, artificialmente, para facilitar a recuperação da informação e relacionados, como seu nome sugere, aos Imperadores: D. Pedro I e D.Pedro II e respectivos familiares. Entretanto, possui um núcleo que detém certa unidade, formado pela documentação transferida do Museu Nacional, em 1922, pertencente a D. Pedro II e D. Teresa Cristina Maria (processo número 14/22). Essa transferência envolveu, sobretudo, documentos iconográficos (álbuns de retratos e de vistas) bem como livros a serem remanejados para a seção da biblioteca . Dos livros arrolados do referido processo alguns não foram localizados e outros já se encontram integrados a Coleção de Documentos Iconográficos Avulsos e aí permanecem por não dizerem respeito, diretamente, à Família Imperial". Consta uma relação de documentos iconográficos que estão na atual Coleção Iconografia Avulsa, um total de 207 fotos. No inventário consta "uma relação de 50 documentos (daguerreótipo, Carte Cabinet e Carte de Visite) que se encontram na Coleção Iconografia e que são relativos à Família Imperial.Comporiam ainda a coleção fotos que retratam membros da Familia Imperial e que estão inseridos na Coleção Documentos Iconográficos Avulsos nas classes D, T e V devido às suas particularidades físícas." Há registrado em guia de remessa de transferência n º 15/86 do "Diário de Bélem de 11/06/1888, doado por Getúlio Vargas, para o Museu da República/RJ, fazendo parte atualmente da coleção Nilo Peçanha naquele museu e o empréstimo, 11/09/1996, à Biblioteca do Exército um Livro Ata da Inauguração da Biblioteca do Exército, assinada pelo Imperador D. Pedro II - Processo 102/96. Coleção tombada pelo IPHAN com 937 documentos (processo de tombamento nº1392-T-1997, concluído em 2009). Do total de documentos tombados 257 itens (iconográficos) estão na Coleção n º74- Iconografia Avulsa, como descrito acima.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Museu Nacional - Processo 14/22
César Lopes - 1922
J J Raposo - Processo 02/23
Cândido de Oliveira Junior - Processo 02/25
Baronesa de Muritiba - 1928
Antônio Felino Barroso - Processo 15/29
B. San Martin - Processo 25/29
Gustavo Barroso - 1934
Coronel Tomás Pereira - 1941
Epitácio Pessoa - 1944
Isa de Queirós Santos - Processo 05/60
Milton M. de Oliveira - 1962
Sidney Simons Braga - 1985

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Exercícios de rima e de caligrafia de D. Pedro II, pasta de documentos que pertenceu a imperatriz D. Teresa Cristina, carta em francês reconhecendo D. Maria Amélia como princesa brasileira, Carta de D. Pedro II sobre o Hospital Santa Teresa, Carta de D. Pedro II solicitando notícias de familiares, carta convidando a imperatriz Teresa Cristina a conhecer o Instituto dos Negros no Cairo, Egito, Carta de Conde d'Eu agradecendo o pesar enviado a propósito do nascimento frustado do seu herdeiro, comunicando que a Princesa Isabel sofreu muito; Iconografia da família imperial, contendo fotos e gravuras, álbum de aquarelas com a árvore genealógica de Francisco I, Rei das Duas Sicílias, partituras, diagramas com árvores genealógicas de D. Pedro I, D. Pedro II e Teresa Cristina.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de arranjo

8 séries: Documentos Pessoais, Correspondências, Iconografia, Homenagens, Jornais e Recortes de Jornais, Árvore Genealógica, Paços Imperiais e Miscelânea.

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Com restrição. Necessidade de prévio aviso.

Condiçoes de reprodução

Resolução Normativa IBRAM nº 15/2022.

Idioma do material

  • francês
  • italiano
  • português

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Inventário

Instrumento de pesquisa transferido

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Nota

Estado de Conservação: Regular

Nota

O Livro de Ata da Inauguração da Biblioteca do Exército, assinada pelo Imperador D. Pedro II foi cedido por empréstimo à Biblioteca do Exército em 11/09/1996 – Processo 102/96. Ata transferida definitivamente à Biblioteca do Exército - processo nº 01438.000262-2023-00, em julho de 2023.

Notação anterior

Pontos de acesso

Ponto de acesso - assunto

Ponto de acesso - local

Ponto de acesso - nome

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Final

Nível de detalhe

Parcial

Datas de criação, revisão, eliminação

Organizada em 1984/1985

Línguas e escritas

Fontes

Nota do arquivista

Organizado por Maryland Leal Paiva, Regina Helena da Conceição Reis e Helena Ferrez; Sanger Amaral Alves Nogueira no período de março a dezembro de 2005 sob a coordenação de Rosângela Bandeira.

objeto digital (Master) zona de direitos

objeto digital (Referência) zona de direitos

objeto digital (Visualização) zona de direitos

Zona da incorporação